Basta de violência



É muito constrangedor e nauseante falar de um tema como este, mas, queiramos ou não, é um assunto que presenciamos todos os dias, seja através da mídia falada, escrita, televisiva, ou, até mesmo, de uma pessoa mais próxima - talvez uma parenta, uma irmã, uma vizinha, ou, quem sabe, uma FILHA...
O que seria uma agressão contra a mulher? Seria, somente, lesão corporal? Não, caros leitores! O pior tipo de arma utilizada para uma agressão, vem através de outros instrumentos: pequenas ofensas verbais e morais. Os danos morais são os maiores causadores das dores, superando, até, as dores físicas.
Ainda hoje, na maioria dos "lares", o homem é considerado o "rei". Por que não dizer "chauvinista"? E ele se aproveita desse falso título, para ditar regras, mandar, dominar, ESPANCAR e ESTUPRAR! Quando? Bom, os finais de semana são os dias preferidos para o seu "deleite" e "bel-prazer"... Sai, vai para o botequim, "enche a cara de cachaça", volta para casa e se sente o "todo-poderoso"... Na segunda-feira..., dia de fazer a queixa na Delegacia da Mulher, fazer exame de corpo-delito no Instituto Médico Legal - IML, ou, quem sabe, estar no IML fazendo uma autópsia. Estou sendo cruel? Não, só estou mostrando a realidade dos fatos!
Mas, e a Justiça? É nesse ponto que quero chegar. Devemos agarrar esta causa com fé e coragem, devemos tentar acabar com essa violência contra a mulher. E, quando me refiro à mulher, me refiro, também, à criança mulher, à adolescente mulher, à jovem mulher, à pobre mulher, à rica mulher, enfim, à todas as mulheres.
A agressão não escolhe raça, idade e classe social. Não existem estatísticas entre as classes sociais no que se refere as agressões. A única diferença é que, as mulheres de classe social mais elevada, acabam por não darem queixa das agressões sofridas por seus maridos, namorados etc. São vários os motivos que as fazem calar - dependência financeira, medo, vergonha etc.
Mas não devemos confundir a violência sofrida pela mulher com a violência urbana. A mulher,

quando violentada, deixa todos os seus referenciais, os seus laços afetivos, os seus vínculos com a casa para o agressor. Ora, onde está a Justiça? Além de ser humilhada e maltratada, tem que sair como quem está fugindo da polícia ou do bandido???
Devemos cobrar do Estado as providências necessárias para a solução do problema de agressão e violência contra a mulher. Não podemos ficar parados! Devemos agir, falar, gritar! Não podemos admitir que as mulheres continuem vivendo "entre tapas e beijos".
“Uma em cada três mulheres podem sofrer de abuso e violência em sua vida. Esta é uma terrível violação dos direitos humanos, no entanto, continua sendo uma das invisíveis e reconhecidas pandemias de nosso tempo”. Nicole Kidman.





Clique aqui para ver a lista de tudo que temos





Gostou? Aproveita e compartilha essa postagem no Google+, Facebook, etc. Se foi bom para você, talvez possa ser bom para mais pessoas...



Share Button





QUE BOM TER VOCÊ POR AQUI.
NÃO VÁ EMBORA AINDA.
TEMOS MAIS SUGESTÕES PARA VOCÊ





Comentários

Mais recentes

Postagens mais visitadas deste blog

Deus Não Castiga...Uma Emocionante História Para Refletir

Tentando entender a palavra Amor

O Filho Pródigo nos Dias de Hoje...

Tenha Bom Ânimo...Josué 1:9

Uma Pequena História...Uma Grande Lição...

Vigiando os nossos pensamentos

Quando a dúvida lhe invadir, lembre-se do que é mais importante para você

Uma Linda História da Simplicidade de Deus...

Aquilo que só você poderá fazer do seu modo único e especial

Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos